Música da Minha Vida - Better Days

Não me lembro mais se primeiro li ou assisti Comer Rezar Amar. O livro é cheio de frases inspiradoras e a beleza do filme são as paisagens maravilhosas, a interpretação e o sorriso cativante da Julia Roberts. Não gostei muito do final, para ser sincera, mas, de qualquer forma, este é um livro marcante na minha vida: a busca de uma mulher por si mesma, para se encontrar.

A capa original do livro, em inglês, e sua versão pós filme

Uma cena marcante no filme é a de Julia Roberts andando de bicicleta pela paisagem campestre de Bali. É essa cena que inicia o clip de Better Days, uma das músicas da trilha sonora do filme.


Eu a-m-o o Eddie Vedder. Solo mais que no Pear Jam. Ele é uma pessoa maravilhosa e a voz dele, pra mim, soa como a voz de um anjo. Grave e suave e envolvente.

Se eu tivesse que escolher uma única música para ser a trilha sonora da minha vida, seria Better Days.




Este post faz parte da blogagem coletiva Músicas da Minha Vida do blog O Tacho da Pepa.


Vamos conhecer juntos as músicas e as histórias das outras participantes?

Virgínia  - O Tacho da Pepa
Chica    -   Lugares, Recordações e Coisinhas...
Dalva    -   Pinceladas Papo  e Poesia
Karine  -   Olha o que eu sei fazer!
Eliane   -   Casinha da Eliane
Nice      -   Ipsis Litteris



Abraços,

San

Músicas da minha vida - Despedida e Gentil Primavera

Março já findando e eu perdi a postagem coletiva de fevereiro proposta pela Virgínia do blog O Tacho da Pepa. Sorry Vi! Os dias têm sido incrivelmente exaustivos ultimamente. Estou resolvendo uns assuntos chatos e burocráticos, daí não tem sobrado muita energia para coisas prazerosas como fazer artesanato e escrever no blog.

Vou falar hoje de duas músicas que marcaram minha infância, cada uma de seu jeito.


Despedida - Roberto Carlos

Quanto eu tinha 6 anos me formei no pré-primário, que era o que havia antes da primeira série. A festa de fim de ano foi num clube da cidade, com a participação do então prefeito e da primeira dama. Houve uma encenação de Natal e todas as crianças usaram um vestido longo de cetim vermelho, menos eu e a Fabiana (se não me engano): minha roupa era de cetim amarelo ouro que simbolizava a estrela e a da Fabiana era verde, que simbolizava o pinheiro.

Tive uma infância feliz e tranquila mas na rua onde morava só havia meninos então, quando eu não estava brincando com minhas primas, eu passava boa parte de meu tempo brincando sozinha no quintal de casa, fingindo que eu era a Mulher Maravilha e que trabalhava na Sociedade Protetora dos Animais... (dei uma pausa porque me lembrei de já ter escrito sobre isso e fui procurar no Google. Foi no comentário deste post da Dalva, do blog Pinceladas Papo e Poesia, que também participa desta blogagem). Continuando, o pré foi pra mim o primeiro contato com crianças fora do meu mundo de poucos quarteirões onde vivíamos, minha família, meus tios, primos e avós.

Havíamos ensaiado muito bem a música Despedida, do Roberto Carlos e eu me recordo da letra dela até hoje:
Já está chegando a hora de ir
Venho aqui me despedir e dizer
Em qualquer lugar por onde eu andar
Vou lembrar de você
Só me resta agora dizer adeus
E depois o meu caminho seguir
O meu coração aqui vou deixar
Não ligue se acaso eu chorar
Mas agora adeus
Só me resta agora dizer adeus
E depois o meu caminho seguir
O meu coração aqui vou deixar
Não ligue se acaso eu chorar
mas agora adeus
No dia seguinte à formatura, conta minha mãe, eu amanheci chorando (imagino que de saudades) e meu irmão João disse a ela: Esta é a primeira desilusão da vida dela.

Tia Jacira e eu

Eu era a estrela de amarelo lá no meio, tá vendo?


Gentil Primavera

Quem viveu a infância nos anos 80 deve ter conhecido a lenda da "loira do banheiro". É sério, eu não quero detalhar o assunto nem colocar links sobre aqui no meu blog.

Eu estava na primeira série e foi nessa época que começou a histeria coletiva da lenda da loira. Todas as crianças tinham medo de ir ao banheiro, especialmente as meninas.

Fazíamos fila no pátio e cantávamos o Hino Nacional. Na hora de ir para a classe, ainda em fila, cantávamos a música Gentil Primavera. Não sei se foram meses ou anos, só me recordo de passar cantando em frente ao banheiro feminino e sentir  medo, um pavor paralisante. Até hoje, ao ouvir a música os acordes me dão arrepio e essas lembranças me vêm à mente. Credo!




Este post faz parte da blogagem coletiva Músicas da Minha Vida.


Vamos conhecer juntos as músicas e as histórias das outras participantes?

Virginia - O Tacho da Pepa
Maria    - Piteis da Dinha
Chica    - Lugares, Recordações e Coisinhas...
Dalva   -  Pinceladas Papo e Poesia
Ale       -  Ipsis Litteris
Eliane  -  Casinha da Eliane
Lia        - Perfil Facebook- Lia Agio


San


Músicas da Minha Vida - Timidez

Eu gostei demais da ideia da Virgina do blog O Tacho da Pepa: em 2018, uma vez por mês, fazer uma postagem com uma música que marcou nossa vida: Doze músicas, doze meses.

Tão simples e tão significativo!


A primeira música que me vem à mente é Timidez, do Biquini Cavadão.

Final da década de 80 (1980 caso você esteja lendo este post num futuro bem distante... ou num passado desconhecido, quem sabe*). Para ser mais precisa, o ano era 1988. Foi quando eu conheci e me apaixonei pelo meu marido. Estávamos no 1o. ano do ensino médio, aquela coisa toda de adolescente, friozinho na barriga, medo, empolgação, você deve se lembrar. Eu sempre fui muito tímida então essas sensações se potencializavam e a música do Biquini Cavadão não poderia ser mais perfeita para servir de trilha sonora para aquele momento da minha vida. Começamos a namorar em março do ano seguinte.

Ao ouvi-la ainda hoje aqueles sentimentos vêm à tona.


Timidez - Biquini Cavadão

Toda vez que te olho crio um romance
Te persigo, mudo todos instantes
Falo pouco, pois não sou de dar indiretas
Me arrependo do que digo em frases incertas
Se eu tento ser direto o medo me ataca
Sem poder nada fazer

Sei que tento me vencer e acabar com a mudez
Quando eu chego perto, tudo esqueço
E não tenho vez
Me consolo, foi errado o momento, talvez
Mas na verdade, nada esconde essa minha timidez

Eu carrego comigo a grande agonia
De pensar em você toda hora do dia
Eu carrego comigo a grande agonia
Na verdade nada esconde essa minha timidez
Na verdade nada esconde essa minha timidez

Talvez escreva um poema
No qual grite o seu nome
Nem sei se vale a pena
Talvez só telefone
Eu me ensaio, mas nada sai
O seu rosto me distrai
E como um raio
Eu encubro, eu disfarço
Eu camuflo, eu desfaço
Eu respiro bem fundo
Hoje digo pro mundo
Mudei rosto e imagem
Mas você me sorriu
Lá se foi minha coragem
Você me inibiu

Sei que tento me vencer e acabar com a mudez
Quando eu chego perto, tudo esqueço
E não tenho vez
Me consolo, foi errado o momento, talvez
Mas na verdade, nada esconde essa minha timidez

Eu carrego comigo a grande agonia
De pensar em você toda hora do dia
Eu carrego comigo a grande agonia
Na verdade nada esconde essa minha timidez
Na verdade nada esconde essa minha timidez



Acesse este link caso você queira ouvir a música enão tenha conseguido abrir o vídeo acima.

oOo

Se você também gostou da ideia da Vi, acessa este link que ela te dá as dicas.

Estes são os participantes de Janeiro. Vou lá conferir a música de cada um e também atualizar este post até o fim do mês com os novos participantes.

Virginia - Blog O Tacho da Pepa
Luciana - Blog Coisas-da-Lu
Chica    - Blog  Lugares, Recordações e Coisinhas...
Eliane   - Blog  Casinha da Eliane
Dalva    - Blog Pinceladas Papo e Poesia
Chris     - Blog Ponto Cruz da Chris
Ale e Nice - Blog Ipsis Litteris
Karine    -Blog Olha o que eu sei fazer
Maria     - Blog Piteis da Dinha
Paula    - Perfil Facebook - Executiva de Panela
Lia        - Perfil FacebooK - Lia Agio

oOo

* Sobre a brincadeira de estar num passado desconhecido, foi só pra fazer um gancho -  já que estamos falando de músicas e videos e saindo um pouco do tema principal do blog que é artesanato - com a série Dark, que terminei de assistir ontem no Netflix. Dark é uma série alemã de drama/suspense que eu achei muito muito boa. Posso dizer que há anos não assistia uma série da qual eu tenha gostado tanto. A última que me impressionou assim foi Broadchurch, um drama policial britânico. Claro que gosto é uma coisa bem pessoal e por isso eu geralmente não gosto de indicar filmes ou livros mas se você gosta do gênero, de assuntos como viagens no tempo e se interessou, dá uma olhada no trailer pra ver se você se anima a assistir também.


Que a alegria esteja com todos vocês <3

San

Ano novo com muito estilo

2017 fechou com chave de ouro por aqui. Fui a feliz ganhadora de uma agenda maravilhosa da Kelly Batista Ateliê

Quando a Kelly anunciou o sorteio da agenda, disse que o ganhador poderia escolher a estampa. Desde o instante em que  bati os olhos nesta estampa fiquei fascinada. Coisa mais linda desse mundo de tecidos, gente! Falei pra mim mesma: se eu não ganhar o sorteio, vou encomendar uma agenda com esta estampa pra mim.

Como a sorte me favoreceu, encomendei também um caderno estilo moleskine*, tamanho A5, com a mesma estampa, para eu usar como journal* em 2018.



Me diz se não são colírios para os olhos os trabalhos da Kelly?



Como perguntar com jeitinho não ofende e o não a gente já tem, eu disse a ela que, se ela tivesse algum pedacinho do tecido da capa que seria jogado fora (por ser muito pequeno), pra ela me dar.

Quem faz artesanato sabe as maravilhas que dá pra fazer com retalhinhos de tecido. Eu fiquei até chateada porque ela não me deu um retalhinho, me deu muitos:



Um mais lindo que o outro...



Os projetos de 2018 do Luka Luluka agradecem sua generosidade, Kelly <3

Conheça o trabalho lindo da Kelly curtindo a página dela no Facebook e o perfil @kellybatista.alelie no Instagram.


* Sobre journal e moleskine, falamos sobre este assunto fascinante em breve, ok?


Que 2018 seja um ano incrível para todos!


San

Tutorial: Pratos Decorados com Tecido

Na semana retrasada eu tirei uma folga do trabalho e aproveitei para passar parte da manhã num complexo de lojas de coisas de artesanato. Foi uma visita despretensiosa, só para ver coisas bonitas e comprar algumas coisinhas.

O passeio foi bem produtivo: comprei luzinhas, peças em MDF, gesso e este tecido maravilhoso:


Estante para tintas com retalhos de MDF

Remanescentes dos móveis que fizemos em casa, muitos retalhos de MDF estavam empilhados, esperando pelo momento de serem úteis. Placas estreitas mas de larguras diferentes, não conseguia imaginar o que fazer. Até que nas férias, benditas férias, encarei a serra tico tico, cortei algumas placas e fiz uma pequena estante para guardar tintas.

Fujam para as colinas!!

Calculei as medidas, cortei as placas com a serra tico tico e montei a estante.

Faça você mesmo um painel para fidget spinner

O post de hoje mostra um DIY muito fácil para guardar um ou mais fidget spinners (ou hand spinners), o brinquedo sensação dos últimos meses, e de quebra, ter um objeto decorativo para a parede do quarto.


Você vai precisar basicamente de um pedaço de madeira ou MDF, lixa para madeira, tintas para artesanato, pincel (ou trincha ou ainda rolo de espuma), lápis, pregos, martelo e fita dupla face extra forte.

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?

Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...