sobre respeito

Apesar de ser sábado, acordei hoje às 6 horas para chegar logo ao laboratório e não enfrentar uma fila muito grande. Fui à gastro esta semana pois frequentemente tenho dores de estômago e ela me pediu 18, repito, dezoito exames!! Caraca, era só uma dorzinha... mas achei bom, pois há tempos não faço um check up geral. Pois bem, deixei o marido na cama e as criancinhas dormindo, coloquei meu scketchers e fui caminhando, pois eu descobri que não basta pagar os olhos da cara por um par de tênis esquisito, é preciso colocá-los nos pés e ainda por cima tem que caminhar com eles, coisa mais complicada.

Apesar de lotado, o atendimento foi rápido e quero expressar aqui, primeiro, minha satisfação com o Laboratório Sabin. O atendimento, tanto dos atendentes quanto das enfermeiras foi rápido, cortês e eficiente. Na saída, cafézinho com qualidade de cafeteria, pãozinho de queijo quentinho que eu coloquei na bolsa e trouxe pros pequenos.
Achei confuso - e fica aqui a minha sugestão - o atendimento aos idosos. Chegando no laboratório, existe o painel de senhas, onde você seleciona:

Atendimento normal

Atendimento preferencial

Pendência de exame

Resultado de exame

Mas e se for uma pendência ou resultado para um idoso, qual senha ele pega?? O laboratório, ao menos na unidade onde fui, não tem painel de senha, a chamada é feita eletronica e verbalmente. Um senhor veio me perguntar qual era a sua senha, pois teve dificuldade de enxergar o "preferencial" na senha dele. Observei que eles encontravam bastante dificultade também para ouvir a senha chamada. Fora isso, não entendi qual o critério para se chamar as senhas preferenciais. Não sei se estou enganada mas, aparentemente, não havia um guichê exclusivo para atendimento preferencial e, até eu ser chamada, foram chamados 5 atendimentos normais e nenhum preferencial. A questão do atendimento preferencial é polêmica, já vi muita gente reclamando, principalmente em locais em que o fluxo de idosos é grande, como em grandes consultórios, laboratórios e caixas de banco. Particularmente, acho que, se não houver um guichê exclusivo para o atendimento ao idoso, a chamada deveria ser intercalada entre os dois. Mas, como disse, esta é minha opinião particular. É tudo uma questão de respeito e bom senso.

Saí do laboratório e já chamei a Lu para irmos no Dia da Família na escola dela. É um encontro anual que ocorre no dia da Consciência Negra, com atividades como bazar, oficinas de artesanato (opa! oficina de artesanato? Tô dentro!) entre outras atividades. Eu adoro feiras e frequento menos do que gostaria por causa da atual fase do Lucas. Ou eu deixo ele em casa com o pai ou nós vamos todos juntos e eu não faço outra coisa a não ser monitorar seus movimentos. Tenho consciência de que é uma fase, logo ele cresce mais um pouco e então as possibilidades mudam. Aproveitemos o presente, com suas imperfeições, aproveitemos a infância das crianças, que passa tão rápido.

Este post pretendia falar sobre a feira mas, pra não ficar mais extenso e pra ficar mais específico, vou fazer um post à parte sobre.

Como fui orientada pelo laboratório de que o medicamento que tomei para os exames poderia dar reação adversa (poupem-me de perguntas indiscretas) combinei com a Luana a nossa senha. Se eu dissesse "Lu, vamos ao supermercado", nós deixaríamos a feira sem nenhuma pergunta e iríamos imediatamente para casa. Felizmente não foi preciso usar este código.

A feira foi ótima mas fui observando e vi que a escola não faz coleta seletiva. "Nossa, isso tem que começar - primeiro em casa - depois nas escolas", pensei. Os adultos de amanhã tem que ter mais consciência que os adultos de hoje sobre a questão ambiental. Depois refleti sobre o assunto. Tem muita gente consciente e criativa que já entendeu a necessidade dos 3 R's (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), que fazem compras conscientes, que separam seu lixo, que levam o lixo aos postos de coleta, que fazem artesanato com material que iria para o lixo (ueba) mas mesmo uma pessoa fazendo tudo isso, ela sempre vai ter lixo no final do dia. Não é todo mundo que pode se dar ao trabalho de levar o lixo separado até um posto de coleta dos supermercados e outras empresas. A pergunta é, senhor prefeito, senhor governador, senhor presidente, o que falta para a administração pública fazer a sua parte? Nós nos esforçamos tanto para fazer os pequenos compreenderem a importância disso enquanto as pessoas que governam parecem não entender ou não dão importância. Além de iniciativas como regulamentar o uso de sacolas plásticas, por exemplo, que fazem a atitude dos hipermercados soarem patética (ora tem sacola, ora não tem, o concorrente volta a usar sacola, o outro volta também), penso que o controle do lixo nosso de cada dia deve ser sim, responsabilidade do governo. Nós fazemos a nossa parte e ele faz a dele. Já há 12 anos atrás, quando morávamos no Japão, havia coleta seleiva. Cada dia da semana, um tipo de material. É tão difícil assim? Não vou estender mais o post falando sobre como penso que deve ser todo o processo, para não ficar ainda mais cansativo. Mesmo porque não tenho know how pra isso. Além do mais, aquele dinheiro que vem a menos no nosso salário e a mais em T-U-D-O o que compramos - os impostos - tem que servir para alguma coisa, não?

Me perdoem pelo longo post, eu precisava desabafar.

Eu assino em baixo de tudo que a Lucia Klein falou sobre o dia da Consciência Negra.

Aqui no DF, dia 30 de novembro é feriado pois é Dia do Evangélico. Nada contra a religião mas a pergunta óbvia é, porque? Não deveria então ter o Dia do Católico? E as minorias no Brasil, como ficam? Não devíamos ter também o dia do Muçulmano e o Dia do Budista?

“É uma iniciativa simpática, mas, todavia, a República nasceu laica e precisa continuar laico. Defendo a separação entre Igreja e Estado para que haja democracia. O presidente precisa despertar para esse aspecto da Constituição”. Palavras do Reverendo Guilhermino Cunha, presidente da Catedral Presbiteriana do Rio e da Academia Evangélica de Letras do Brasil.

Se você, como eu, não sabe(ia) o que é laico, aqui vai a explicação:

O laicismo é uma doutrina filosófica que defende e promove a separação do Estado das igrejas e comunidades religiosas, assim como a neutralidade do Estado em matéria religiosa . Não deve ser confundida com o ateísmo de Estado.

Polêmico, não? Mas vou deixar de ser reclamona e encarar com bom humor. Afinal ganhei um feriado de presente no dia do meu aniversário.

Se você chegou até aqui, você é uma pessoa de tempo e paciência. Obrigada e parabéns :) Deixa um recadinho pra eu saber.

Abraços.

4 comentários:

  1. Sou contra todos os feriados religiosos, exceto Natal. Só natal e fim.

    Em 2008 fiz 57 exames, nossa, foi bem cansativo. Te entendo.

    Semana que vem, faremos blogagem coletiva de novo. Vem participar também!

    Amiga, POR FAVOR, retira essa exigência de verificação de palavras, é chato demais!!!!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Perdão gente, concordo com a Fernanda e eu achava que estava sem esta verificação.
    Falta de respeito ao tempo das pessoas né? Ótimo post para tirar a verificação.

    ResponderExcluir
  3. oi Sandra-
    adorei teu post-
    agora começa o meu-
    as escolas não fazerem coleta seletiva é um péssimo exemplo - aqui nós começams pela escola da minha filha, um colégio estadual - e inté sai no jornal local oh que chic que eu sou - mas eu metia amão , enchia o carro , dava um bom din din - entregava tudo para diretora - até que cansei de ver tanta hipocrisisa - láa - nem todo colégio deve ser assim - foi um belo dia que teve um bingo para arrecadar din din para escola- e no final da festa ficamos, a profi, minha filha e eu amassando latinhas, pets, copos descartaveis, e enchemos vários sacos - e quem iria levar - a diretara não podia colocar no seu carrinho zero, a outra porque tinha mandado na lava jato - sobrou pro maridão - é claro - mas foi a ultima vez que me viram , era toda hora me telefonando , me chamando, gente dá a mão querem a gente inteira- me senti uma idiota-
    mas aqui em casa sempre teve coleta seletiva e sou chata com isto - e conseguimos , o wanderson e eu agitamos a cidade, o prefeito tb naõ acreditava nisto - mas conseguimos - agora tem dois caminhões que recolhem toda semana-
    e quanto as sacolas - eu quero fazer um post sobre isto - eu acho a maior sacanagem dos supermercados e do governo- os supermercados não precisam mais gastar dinheiro com sacola , mas e nós continuamos botando lixo que não é reciclavel na lixeira e aonde vamos colocar? temos que comprar os sacos de lixo nos uspermercados que se livraram da obrigação das sacolinhas - entendeu - e o governo - se eles querem acabar com as sacolinhas - tem que dar um jeito antes - eles definitivamente não pensam na população-
    ah eu quero feriado internacional - para o dia das recicloucas ou entaão da consciencia euro-descedente-
    bj
    lu

    ResponderExcluir
  4. Pode anotar aí que além de ter tido paciência pra ler o post todo ainda tive pra ler os comments. Concordo com o q a Lu falou sobre as sacolinhas e qto ao seu post não teve nada de cansativo foi enriquecedor.
    Agora falando da cola no isopor, tenta com a cascorez um pouquinho diluída. Mas se não estiver limpinho e bem seco, o tecido não vai aderir. Bjs.

    ResponderExcluir

Então, o que você achou?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...