Músicas da minha vida - Despedida e Gentil Primavera

Março já findando e eu perdi a postagem coletiva de fevereiro proposta pela Virgínia do blog O Tacho da Pepa. Sorry Vi! Os dias têm sido incrivelmente exaustivos ultimamente. Estou resolvendo uns assuntos chatos e burocráticos, daí não tem sobrado muita energia para coisas prazerosas como fazer artesanato e escrever no blog.

Vou falar hoje de duas músicas que marcaram minha infância, cada uma de seu jeito.


Despedida - Roberto Carlos

Quanto eu tinha 6 anos me formei no pré-primário, que era o que havia antes da primeira série. A festa de fim de ano foi num clube da cidade, com a participação do então prefeito e da primeira dama. Houve uma encenação de Natal e todas as crianças usaram um vestido longo de cetim vermelho, menos eu e a Fabiana (se não me engano): minha roupa era de cetim amarelo ouro que simbolizava a estrela e a da Fabiana era verde, que simbolizava o pinheiro.

Tive uma infância feliz e tranquila mas na rua onde morava só havia meninos então, quando eu não estava brincando com minhas primas, eu passava boa parte de meu tempo brincando sozinha no quintal de casa, fingindo que eu era a Mulher Maravilha e que trabalhava na Sociedade Protetora dos Animais... (dei uma pausa porque me lembrei de já ter escrito sobre isso e fui procurar no Google. Foi no comentário deste post da Dalva, do blog Pinceladas Papo e Poesia, que também participa desta blogagem). Continuando, o pré foi pra mim o primeiro contato com crianças fora do meu mundo de poucos quarteirões onde vivíamos, minha família, meus tios, primos e avós.

Havíamos ensaiado muito bem a música Despedida, do Roberto Carlos e eu me recordo da letra dela até hoje:
Já está chegando a hora de ir
Venho aqui me despedir e dizer
Em qualquer lugar por onde eu andar
Vou lembrar de você
Só me resta agora dizer adeus
E depois o meu caminho seguir
O meu coração aqui vou deixar
Não ligue se acaso eu chorar
Mas agora adeus
Só me resta agora dizer adeus
E depois o meu caminho seguir
O meu coração aqui vou deixar
Não ligue se acaso eu chorar
mas agora adeus
No dia seguinte à formatura, conta minha mãe, eu amanheci chorando (imagino que de saudades) e meu irmão João disse a ela: Esta é a primeira desilusão da vida dela.

Tia Jacira e eu

Eu era a estrela de amarelo lá no meio, tá vendo?


Gentil Primavera

Quem viveu a infância nos anos 80 deve ter conhecido a lenda da "loira do banheiro". É sério, eu não quero detalhar o assunto nem colocar links sobre aqui no meu blog.

Eu estava na primeira série e foi nessa época que começou a histeria coletiva da lenda da loira. Todas as crianças tinham medo de ir ao banheiro, especialmente as meninas.

Fazíamos fila no pátio e cantávamos o Hino Nacional. Na hora de ir para a classe, ainda em fila, cantávamos a música Gentil Primavera. Não sei se foram meses ou anos, só me recordo de passar cantando em frente ao banheiro feminino e sentir  medo, um pavor paralisante. Até hoje, ao ouvir a música os acordes me dão arrepio e essas lembranças me vêm à mente. Credo!




Este post faz parte da blogagem coletiva Músicas da Minha Vida.


Vamos conhecer juntos as músicas e as histórias das outras participantes?

Virginia - O Tacho da Pepa
Maria    - Piteis da Dinha
Chica    - Lugares, Recordações e Coisinhas...
Dalva   -  Pinceladas Papo e Poesia
Ale       -  Ipsis Litteris
Eliane  -  Casinha da Eliane
Lia        - Perfil Facebook- Lia Agio


San


4 comentários:

  1. Oi Sandra, essa musica do Roberto fez muito sucesso, me lembro bem dela e dá aquela saudade, vou te contar, só deu você na foto..kkkkk
    Essa música Gentil primavera, não conhecia, mas lembro da loira do banheiro, kkkk, volta e meia eles inventam uma coisa para apavorar as crianças, depois não sabem porque criança tem medo de escuro, injeção e outras coisas mais.
    Muito beijos,Vi

    ResponderExcluir
  2. Olá, San! Gostei do diminutivo, rsrs...Essa música do RC, fez parte como todas da minha adolescência, sou do tempo da Jovem Guarda, rsrs... A outra não conhecia, e o homem do saco fez mais sucesso que a loira do banheiro por aqui, amedrontando a criançada.
    Beijinhos, Ana

    ResponderExcluir
  3. Valeu a demora para fazer a postagem, adorei, cheia de sensibilidade!
    Fui lá relembrar o meu post e seu comentário, penso que muitos heróis e heroínas viveram em jardins.
    Que graça de criança era você, San, mesma carinha!
    AS desilusões da infância são marcantes, qdo o filho se formou no pré, acho que passou por algo assim, a primeira constatação de que nada é para sempre, que as pessoas passam na vida gente e nós na vida deles.

    Não tenho certeza, mas a impressão de que essa música do Roberto cantamos na formatura de ginásio, a outra não conhecia.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. .
    Olá. Visitando, vendo, lendo, admirando, e gostando muito das suas publicações. Amo ouvir Roberto Carlos. É único.
    .
    * Promessas de Amor em Versos Poéticos *
    .
    Deixando votos de felicidades

    ResponderExcluir

Então, o que você achou?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...