Pular para o conteúdo principal

Idéia simples: quadrinho com flores desidratadas

Olha o que eu fiz dias atrás:
Como tudo o que eu faço tem um historinha, este não poderia ser diferente.
Se não estiver interessado na história... bom... ema ema. Eu vou falar como eu fiz - apesar de ser bem simples - mas dentro da história :)

Meu irmão me deu um livro enorme quando eu era criança, acho que foi o primeiro que ganhei, se chama A Vida na Terra. Eu era fascinada pelo livro e queria ser veterinária. Eu o tenho ainda hoje em minha estante e, além de rico e decorativo, o livro é grande e quadrado o que fez dele o ligar perfeito para desidratar folhas e flores. Eu coloco a flor/folha dentro do livro, entre duas folhas de papel toalha. E esqueço lá. Ainda hoje, se folhear o livro, vou encontrar minhas colheitas. Tem uma folha daquela árvore que é o símbolo de Montreal (perdoem-me, não sei o nome e estou com preguiça de pesquisar) que eu peguei em Campos do Jordão num passeio que fiz com meu marido, então namorado. Ainda vou fazer um quadrinho com ela.

Neste quadrinho, que aliás, eu ganhei na brincadeira de amigo da onça com nossos amigos no último ano, eu usei lavanda que colhi no começo do ano na Esplanada dos Ministérios :s quando minha sobrinha veio nos visitar e as outras flores e folhas são do quintal dos meus pais.

Eu forrei o fundo do quadro com um tecido rústico e colei o arranjo, depois de definí-lo. Depois coloquei mais cola sobre as flores e folhas, para fixá-los bem, fiz o acabamento com fita e deixei secar na horizontal.

Nota: no verso do quadrinho, que não aparece, eu colei um bilhetinho, contando sucintamente a história dele, sobre a origem das flores, as pessoas envolvidas, a época e a data em que fiz. Coisas de Sandra.

Bom dia e que a alegria esteja com todos vocês.

Comentários

  1. Olá Sandra!!

    Obrigada pela visita e pelo elogio!!!

    Adoro artesanato feito através da reciclagem, conheço muito pouco sobre as técnicas, mas fico encantada com tanta coisa q dá pra fazer.

    Boa sorte no sorteio e apareça sempre!!!

    Bju

    ResponderExcluir
  2. oii.. aii q pena... entao esses lencinhos achei num supermercado aqui em assis.. e tava beem escondidinho... rss... mas papel crepom de bolinha e uma graça tbm neh... =)

    beiijoss... =)

    ResponderExcluir
  3. oi Sndra- achei lind tua arte - ainda mais com uma arte tua- as flores, a história dele - bela recordação-
    vim te convidar para conhecer meu sorteio - LEVE MINAS PARA SUA CASA- ARTESANATO DE MADEIRA - de Tiradentes - e tem dicas - vale a pena conhecer a loja artesaomineiro e o blog para nós blogueiras é um achado - cheio de passoa-passo -
    te espero lá
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Sandra...eu também tenho por hobie colher folhagens bonitas por onde ando, e por isso que gosto da reciclagem, porque toda a peça que fazemos, sempre tem uma estória não é?
    Bjs querida.

    ResponderExcluir
  5. Oi Sandra!

    Fazia tempo que eu queria seguir seu blog. Agora consegui!!
    Adorei esta sugestão. O quadrinho ficou um charme. Cores e texturas combinaram bem.
    Gde abraço

    ResponderExcluir
  6. Oi Fernanda!
    Que legal que você gostou do blog. Obrigada mesmo pelo follow.

    Espero continuar publicando minhas artes e inspirando as pessoas. Modestamente, é claro.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sandrinha.... então continua arteira, heim!!! que bom

    Menina, sobre a máquina de costura, é uma Elgin que fará mil e uma coisa quando eu dominá-la direitinho. Por enquanto, só os pontos básicos e uns enfeitinhos que ela faz também. ainda não tive coragem de trocar o pé para costurar zíper e botão, por exemplo. Mas chegarei lá. Quanto a costurar malhas, não vi nada nem recomendando nem desprovando no manual, mas acho que não costura. Na verdade, ainda estou desvendendo os mistérios do negócio.
    Bom final de semana, querida e fica com Deus,

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixa um comentário! Adoro quando vocês interagem com o blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…