Pular para o conteúdo principal

Orgulho: um post dedicado à mim!


Minha queridíssima sobrinha Brenda, a mais velha dentre cinco adorados e lindos sobrinhos e que esses dias mesmo tinha a idade do meu filho e "aconselhava" minha mãe quando eu tinha minhas crises de adolescente rebelde sem causa: "dá uma tapa néia que eía páia" hoje é uma jovem mulher, formada e vivendo a experiência singular de morar fora do país.

Não teve problemas com a barreira do idioma, passou e passa por muitas situações complicadas e muitas vezes cômicas e, pra fechar com chave de ouro, como au pair, é responsável pelo bem estar e educação de dois garotos, de 3 e 4 anos, conseguem imaginar?

Pois ela tira de letra! Inteligente, esforçada e com o coração do tamanho do mundo, ela pra mim é um exemplo de coragem e muita determinação.

Por isso, meu orgulho maior não foi o de ver meu nome num post dela, mas de fazer parte da vida dela e ser sua tia.

Ela conta suas peripécias no blog Few Miles from Home.

Comentários

  1. Adorei,sua vizita obrigada.
    Que boneca vc tem!!!
    Com certeza sua sobrinha te adora.
    vc é encantadora.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oie Sandra, q linda homenagem, de sua sobrinha, como é bom saber que tem pessoas q nos amam. Guria como foi divertido o reciclamingo, confesso pra vc que foi um desafio, mas um desafio gostoso. Vamos neste ano começar mais cedo com certeza. Bjos

    ResponderExcluir
  3. Oi Sandra, senti sua falta!
    Complicado ficar longe da net né rsss.
    Que linda homenagem que sua sobrinha te fez e agora vc a ela.
    Bjs e uma linda quarta feira.

    ResponderExcluir
  4. Ai tia Sandra! Fiquei muito emocionada! =´D

    Euza tem razão, você é essa palavra que você tanto gosta: encantadora. Por isso mesmo que seus filhos também são! =D

    Amo você!

    ResponderExcluir
  5. Obrigada meninas, obrigada querida Bre. Amo você também.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixa um comentário! Adoro quando vocês interagem com o blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…