Pular para o conteúdo principal

Cama de lata de sardinha

Saudações pessoas!

Quem acompanha o blog há mais tempo deve ter visto este post onde eu apresento o B e o X, os monstrinhos de cápsula de Kinder Ovo que eu fiz para o meu filho. Se não viu, espia o link, vale o clique #modéstiamodeoff

O que eu acabei não mostrando foram as camas que fiz para eles na mesma época.


Não fotografei o passo a passo, mas não tem muito segredo. Lavei muito bem as latinhas, passei álcool para tirar qualquer vestígio de gordura, lixei levemente e dei uma demão de primer para que a cola pudesse aderir melhor.


Para fazer as laterais da cama, usei um pedaço da perna de uma calça jeans da Lu, que já não servia mais. O perímetro era perfeito e se encaixou na lata sem que eu precisasse fazer nenhum ajuste. Colei as bordas externas e internas com cola branca e fiz os acabamentos com feltro. Se não tiver feltro, corte dois pedaços de papelão nas dimensões dos fundos internos e externos e revista-os com tecido.

Os colchões eu fiz com um retalho de espuma que eu tinha, de um travesseirinho de bebê do Lucas, revestido com um pedaço de camiseta listrada.

Os travesseiros foram feitos com manta acrílica e tecido e as colchas com pedaço de malha, bordados pra dar um charme.

Fácil né? Só coisas que eu tinha em casa.

E o tamanho da cama é ideal para outras criaturas. Olha o Mestre Shifu descansando nela.


Agora pensa: se você tem retalhos de tecidos de poás, cupcakes e outras coisas cutes, imagina que linda cama para Polly não daria? Gostou da idéia? Faz, me dá os créditos =) e me conta que eu coloco o link aqui.


Volta pra cama, X!

Obrigada pela visita, que a alegria esteja com todos vocês ♥

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…