Pular para o conteúdo principal

O amor está no ar! Reaproveitando teclas e latas

Gosto muito do tema amor, da palavra escrita em qualquer língua e também de corações. Ah, sei que é meio lugar comum mas eu acho tão lindo. Sabe coisas que te fazem suspirar? Então, quer coisa melhor pra fazer suspirar que amor?

Defendida a minha tese sobre "O Uso do Amor na Decoração", olha o que foi feito de:

1 lata de sardinha  +  teclas inutilizadas + retalho de guardanapo + tintas
 
feito com lata de sardinha, teclas e o sua imaginação mandar
Simples, barato, sustentável e de grande impacto

Retalhos de guardanapo cobrem a parte externa


Na pintura, dei uma demão de primer em toda a peça, usei tinta pva fosca para a parte interna e tinta acrílica para a parte externa. Cola misturada com água para colar o guardanapo e, depois de seco, para impermeabilizá-lo, uma demão de termolina leitosa. As teclas eu colei com cola para e.v.a. e isopor, da Acrilex.

Fez sucesso por aqui e meu filho já encomendou outro com o nome dele. Tenho vários teclados disponíveis, quatro, contando com o teclado árabe :(

Aproveitando a mão na massa - porque sempre faço várias coisas ao mesmo tempo - decorei também estas latinhas com guardanapo de papel. Também usei termolina no acabamento.
 

Quanto ao uso da termonina, quero fazer uma ressalva: ela impermeabiliza a peça mas tira a textura sedosa do guardanapo. Então a dica é só usá-la se a peça for feita para ficar em ambiente úmido ou para ser muito manuseada. Eu tenho uma latinha onde guardo linhas de costura já há uns 3 anos e está perfeita, sem nenhum acabamento.



Com latinha de sardinha também fiz:
- Relicário para São Francisco
- Camas para monstrinhos (que servem muito bem para uma Polly)

Com o tema amor:
- Quadro de degrau
- Coração de origami
- Carimbo feito em casa

Vou parando por aqui porque o tema é uma constante no meu trabalho, afinal, o amor está no ar.

♥♥♥

Abraços, que a alegria esteja com todos vocês.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…