Pular para o conteúdo principal

{Crônicas dos Bichos} Camas e caixas

22/12/2015


Esta semana vamos fazer uma viagem de carro longa, cerca de 11 horas, e vamos levar os nossos bichos: Mônica, a cã e Totoro, o gato.

Falo com esta determinação agora, mas até chegarmos a esta decisão, foi um longo caminho de dúvidas, incertezas, insegurança e medo.

Cheguei até a cogitar não passarmos as festas com nossas famílias e amigos. Eles estão sendo vacinados e ainda não podem ir à rua, nem a hoteizinhos de animais. E se pudessem, fiquei imaginando se  seriam bem tratados. E se levássemos, o que teríamos que fazer, e se eles escapassem??

Um papo com a veterinária, que é uma excelente profissional e muito atenciosa e carinhosa com os filhotes, esclareceu grande parte de nossas dúvidas. As dúvidas que restaram foram as que lembramos depois e vamos perguntar amanhã na consulta de vacinação do Totoro.

A veterinária nos orientou a levá-los numa caixa, disse que é exigência  nas estradas. Conversando com uma amiga que também vai passar pela aventura de fazer uma viagem longa com seu cão bebê, descobri que é preciso um atestado de saúde fornecido pelo veterinário e válido por 10 dias.

Caixa comprada, guias e snacks para a viagem também, estamos na contagem regressiva.

Assim que chegamos em casa com a caixa, tirei a sua porta de arame para evitar que meninos curiosos brinquem com os bichos e os deixem assustados.

O fato é que eles amaram a caixa. Vivem dentro dela. Os dois dormem juntos na mesma cama e eu coloquei a cama dentro da caixa para ver se eles aprovavam e acertei em cheio! A caixa deve trazer uma sensação de segurança, além de mantê-los aquecidos.

Depois do Natal conto como foi a primeira parte da nossa aventura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…