Pular para o conteúdo principal

{Receita} Panqueca Americana

Do velho caderno de receitas, um clássico aqui em casa: Panqueca Americana.


Conheci pessoalmente estas delicinhas (porque já tinha visto muito em filmes) quando morávamos no Japão. Trabalhávamos muito e meu marido fazia esquema de 4x2: trabalhava quatro dias durante o dia, descansava dois e depois trabalhava quatro dias à noite. Eu trabalhava de segunda à sábado então os domingos que conseguíamos ficar juntos eram muito preciosos e aproveitávamos ao máximo. Saíamos de casa bem cedo, antes que alguém da empresa pudesse vir procurar meu marido para que ele fosse repor algum funcionário faltante. Nestes dias, o primeiro local que íamos era o McDonalds, para tomar café da manhã. Ao que me lembro, aqui no Brasil na época, não havia ainda café da manhã no McDonalds e, mesmo hoje, ele não oferece as tão deliciosas panquecas. Elas vinham acompanhadas de um sachê de calda* da qual vou falar no fim deste post. Era muito bom!!

Demorou muito pra eu tentar reproduzir a receita em casa. Por que demorou tanto, Sandra? Que receita gostosa e fácil de fazer! Me redimi da demora transformando-a num singelo clássico, fazendo parte da memória afetiva dos meus filhos, sobrinhos e amigos.


 Salvo diferenças nas quantidades, os ingredientes são os mesmos do bolinho de chuva e do waffle.

Panqueca Americana


Ingredientes:
  • 1 1/4 xícara de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 3 colheres de chá de fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 2 ovos levemente batidos
  • 1 xícara de leite
  • 2  colheres de sopa de manteiga ou margarina amolecida
  • óleo para untar a frigideira

Modo de Fazer:
  • Misture os ingredientes secos.
  • Acrescente os demais ingredientes, um a um, mexendo com um fouet.
  • Com papel toalha, unte levemente a frigideira e leve-a ao fogo médio.
  • Usando uma concha média como medida, coloque a massa na frigideira, com cuidado para que ela não se espalhe e para que fique com formato circular. Por levar fermento, a massa fica mais espessa e macia.

Sugestões de acompanhamento:
  • Calda de açúcar*
  • Geleia
  • Nutella
  • Leite condensado
  • Leite condensado e morangos


oOo

*Sobre a calda que mencionei no início, não saberia dizer do que era feita no Japão mas lembra muito a calda de açúcar comum: ferva uma medida de água e uma medida de açúcar até começar a engrossar. Você pode incrementar a calda substituindo o açúcar comum pelo mascavo, acrescentando uma gota de baunilha ou um pedaço de canela.

Ainda sobre a calda, ela é conhecida no Canadá e Estados Unidos como "maple syrup", ou seja, xarope de bordo, que não tem nada a ver com o nosso amargo boldo. Bordo é uma árvore cuja folha estampa hoje a bandeira do Canadá. Se você ficou curioso sobre o maple syrup, este post conta detalhes sobre sua origem.

oOo

Estava devendo esta receita para a Cissa Branco a tanto tempo que estou até com vergonha de falar pra ela que eu finalmente a publiquei.
oOo

Este post era para ter sido publicado pela manhã mas eu tive dificuldade em encontrar as fotos que havia feito para o post, então voltei do trabalho, fiz uma pequena sesta, fui comprar algumas coisas de artesanato para o fim de semana numa loja pertinho de casa e então chamei o Lucas para fazermos a receita para o lanche da tarde e aí eu fiz de novo as fotos. O soji (faxina) ficou para amanhã cedo ;)

oOo

Que a alegria esteja com todos vocês.


Comentários

  1. Ah, vou fazer sua receita amanhã (depois te conto)! Uma vez comprei essa calda, achei cara e olha que não era das mais caras, pra ser sincera gostei mais do vidro do que da calda maple, mas o paladar para ela vai se apurando e quando o vidrinho estava terminando já estava gostando muito.
    Obrigada pela receitinha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Voltei para dizer que a receita está aprovadíssima, adoramos! Essa semana fiz na versão salgada (tirei açúcar, coloquei 1 pitada generosa de sal e um cadinho de parmesão ralado) e também ficou deliciosa, ainda quentinha polvilhei parmesão...hummm!!!
    E que capa mais cute desse caderno de receitas!
    Beijos e valeu pela receitinha maravilhosa!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixa um comentário! Adoro quando vocês interagem com o blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…