Pular para o conteúdo principal

Leia para uma criança

Uma ex-colega de trabalho certa vez me contou que, quando criança, adorava ler gibis mas que seu pai reprimia tal leitura, dizendo que "não prestava". Suponho que ele esperava que os filhos se interessassem pelos clássicos da literatura nacional. O resultado? Uma adulta que não gosta de ler e que não incentivou nos filhos o hábito da leitura.

No último fim de semana encontramos uma promoção e compramos os três últimos livros da série Diário de um Zumbi do Minecraft (livros 5 a 7) da Editora Sextante.

É uma grande leitura? Não é. Tem muito apelo comercial? Tem. É modinha? É.

Mas é livro para criança e se a criança gosta, é o que vale. Este é o ponto onde eu quero chegar.



Penso que o hábito da leitura deve ser iniciado o mais cedo possível. Gestantes, leiam para seus filhos! Eles amam sua voz e a entonação de leitura é diferente da sua voz quando você fala com ele, com outras pessoas ou canta. Com a agressiva concorrência dos eletrônicos, é fundamental também a frequência. E dar o exemplo, é claro.


Os livros brinquedo são fascinantes para os pequenos: livros para folhear no banho, páginas 3D que saltam aos olhos, portas que se abrem, olhos que me mexem, páginas que viram ferrovias. As editoras perceberam este nicho há tempos e as opções são grandes.

Iniciamos o hábito de ler para nosso filho quando ele tinha 3 anos. Intercalo com meu marido a rotina da leitura antes de dormir. Ele ama, tem suas preferências mas vou ser sincera: não é fácil. Se deixássemos, por comodismo, ele certamente preferiria a TV ou o tablet e dormiria tarde.

Quando ele tinha 5 anos, recebeu na Coleção Itaú Criança o livro Chapeuzinho Amarelo, que foi uma espécie de divisor de águas para ele. Até então ele praticamente só tinha livros brinquedo e aquele virou uma espécie de cult book pra ele. Sabia todas as falar de cor. E que mensagem bacana o livro transmite!

Lendo Mutts, de Patrick McDonnell


De lá pra cá lemos Peanuts, Calvin e Haroldo, Mutts, Turma da Mônica, William Joyce e muitos outros autores, além de Diário de um Zumbi do Minecraft =)

oOo

Vamos falar sobre livros físicos versus e-books? Não, não vamos. Ainda não estou preparada =(

oOo

Leia também:
Apresento-lhes o B e o X
Livreiro Infantil


Obrigada pela leitura e que a alegria esteja com todos vocês.



Comentários

  1. eu sempre li para minha filha desde bebê.E graças a deus ela se tornou uma leitora que lê mais do que a própria mãe rsrs
    meu sobrinho vai nascer o mês que vem e já dei para minha irmã alguns livrinhos,para começar logo cedo.
    ótima postagem!

    ResponderExcluir
  2. Sempre li para meu filho, desde os livrinhos de plástico na banheira e os de pano qdo bebezinho. Ele gostava de todo tipo de livro mas, aos 6 anos tinha preferência pela coleção do Zac Power, sobre um garoto que, além de estudante, era um super agente secreto. Depois, perto dos 9 anos, ele começou a ler o Diário de um banana, coleção que leu todos (várias vezes cada volume). Foi com um dos últimos volumes do "banana" que ele começou a ler em alemão. Hj, com 14 anos, lê muito, livros simples, complexos, HQs etc. Isso é ótimo pra ele na escola. Incentivo sempre. Ele também tem um Kindle, embora não use tanto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixa um comentário! Adoro quando vocês interagem com o blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Como descolar espelho de embalagem de pó compacto

Post rapidinho para compartilhar uma coisa que queria saber faz tempo e que aprendi agora.

O que você faz quando seu pó compacto acaba? Joga a embalagem fora?
Eu jogo a parte de baixo mas a tampa com o espelho eu guardo porque dá pra fazer tanta coisa legal com espelhos. O problema é que eu não sabia como descolar o espelho da tampa de plástico.

Iogurtes Infinitos, quase dois meses depois

Faz 53 dias que iniciei a saga dos iogurtes infinitos. Como eu imaginava que aconteceria, chegou um ponto em que ficou insustentável cultivar 11 tipos de iogurtes diferentes, fazer a troca todos os dias, cuidar dos copos e talheres usados e ainda, consumir todos eles... ufa!

Mas não pensem vocês que eu desistiuyj7. Separei dois deles para cultivo, greek e colágeno, que são os mais suaves, e congelei os demais, em saquinhos de sorvete.

Recentemente uma leitora do Luka Luluka no Instagram me perguntou sobre o viili, então eu descongelei este também e estou usando os três. Em comparação ao greek e ao colágelo, o viili é mais azedinho. Eu gostei. E a consistência dele é linda, bem cremosa.

Enquanto cultivava os 11 iogurtes, com a correria do dia a dia, eu não estava conseguindo observar a diferença entre eles e a característica de cada um. Com o uso de dois ou três iogurtes, produzindo cerca de 50 a 100 ml de iogurte ao dia de cada um, fica mais sustentável o cultivo e a observação.

Quand…

Espalhe amor em seu blog!

O Luka Luluka foi criado há 4 anos e alguns meses atrás, fruto de minha vontade de me expressar e de compartilhar meus trabalhos e ideias. O desejo de torná-lo real vinha de muito antes mas foi a mudança de cidade - longe da família e dos amigos - que provocou reflexões e também ações, e permitiu a criação deste blog - e projeto - que eu tanto amo.

Esta postagem participa da blogagem coletiva proposta pela Elaine Gaspareto em parceria com a Divitae e a ideia é fazer um post mostrando como você espalha amor por aí: pode ser alguma coisa que você faça, uma história, o formato é livre, só tem que ser feito com muito amor.


Quando eu crio alguma coisa, só o faço porque sinto amor. Porque desejo de verdade. Tenho este preceito. Só faço quando posso, quando quero e realmente desejo. Porque linha industrial não combina com arte.

Quando reutilizo algum material que iria para o lixo, o faço porque sinto amor por nossa mãe Terra.



Recentemente virei ciclista. Não estilo corredora radical, mais pr…